top of page

Pesquisadores da OpenAI alertaram sobre o avanço da IA ​​que poderia “ameaçar a humanidade”


Antes dos quatro dias de exílio do CEO da OpenAI, Sam Altman , vários pesquisadores enviaram ao conselho de administração uma carta alertando sobre uma poderosa descoberta de inteligência artificial que, segundo eles, poderia ameaçar a humanidade, disseram à Reuters duas pessoas familiarizadas com o assunto.


A carta e o algoritmo de IA anteriormente não relatados foram um catalisador que fez com que o conselho destituísse Altman, o garoto-propaganda da IA ​​generativa, disseram as duas fontes.

Antes de seu retorno triunfante na noite de terça-feira, mais de 700 funcionários ameaçaram pedir demissão e se juntar à Microsoft, sua apoiadora, em solidariedade ao seu líder demitido.


As fontes citaram a carta como um fator entre uma longa lista de queixas do conselho que levaram à demissão de Altman.


Segundo uma das fontes, a executiva de longa data Mira Murati mencionou o projeto, denominado Q*, aos funcionários na quarta-feira e disse que uma carta foi enviada à diretoria antes dos eventos deste fim de semana.

Depois que a história foi publicada, um porta-voz da OpenAI disse que Murati contou aos funcionários sobre o que tratavam as reportagens da mídia, mas não comentou sobre a veracidade das informações.


O fabricante do ChatGPT fez progressos no Q* (pronuncia-se Q-Star), que alguns acreditam internamente que poderia ser um avanço na busca da startup por superinteligência, também conhecida como inteligência artificial geral (AGI), disse uma das pessoas à Reuters. OpenAI define AGI como sistemas de IA que são mais inteligentes que os humanos.


Dados os vastos recursos computacionais, o novo modelo foi capaz de resolver certos problemas matemáticos, disse a pessoa sob condição de anonimato porque não estava autorizada a falar em nome da empresa.

Embora o desempenho em matemática seja apenas no nível dos alunos do ensino fundamental, a aprovação em tais testes deixou os pesquisadores muito otimistas sobre o sucesso futuro do Q*, disse a fonte à agência de notícia.


bottom of page