top of page

Com salto digital, Granjas 4 Irmãos reduz custos em 18%


Com mais de 70 anos de atividade, a Granjas 4 Irmãos passou por uma transformação digital nos últimos anos. A adoção de novos mecanismos e a integração de diversas tecnologias já utilizadas na produção de soja, arroz, leite e carne bovina na fazenda em Rio Grande (RS), a partir de 2021, reduziram os custos em 18%.


As aplicações digitais na fazenda garantiram a manutenção da produtividade das lavouras mesmo em anos de clima adverso no na região Sul do país. O resultado medido ao fim da safra 2022/23 é que cada R$ 1 investido pela empresa nessa transformação gerou um retorno de R$ 8,32.


O grupo criou um setor específico de tecnologia e assumiu processos que antes eram terceirizados. Desde então, a economia gerada nos negócios foi de R$ 4,4 milhões. O faturamento do grupo foi de R$ 215,6 milhões em 2022.


Um dos exemplos é a aplicação da agricultura e pecuária de precisão. Com a informatização dos processos relacionados ao plantio, trato e colheita dos 7,5 mil hectares de arroz e 5,5 mil hectares de soja, e do manejo e alimentação do rebanho de mil vacas holandesas para produção de leite e de 2,5 mil cabeças de gado de corte da raça Black Angus, foi possível reduzir em 10% os gastos com o uso de fertilizantes, tratamento do solo, lubrificantes e silagem.


A fazenda foi totalmente adaptada para o universo 4.0 da produção agropecuária, conta o conselheiro e acionista João Carlos de Oliveira. Segundo ele, a intenção é criar a cultura voltada à tecnologia em toda a companhia a partir da sua convicção de buscar a automação da produção agropecuária.


“Estamos voltados à agricultura de precisão. É algo prioritário para nós, vamos nos basear no que é científico que vai nos trazer melhorias contínuas. É uma ferramenta que não se esgota”.


A rotina produtiva passou a contar com robôs, Big Data, IOT (Internet das coisas) e outras soluções digitais. Imagens aéreas e a conectividade por satélite nas lavouras ajudaram a melhorar a eficiência da produção. A pulverização de defensivos agrícolas passou a ser feita com drones, que complementa as aplicações onde os aviões não conseguem chegar.


Houve melhorias também nos processos internos, que foram digitalizados e armazenados em nuvem. A integração do banco de dados, alimentado em tempo real, com o manejo ajudou a reduzir os custos das atividades praticadas. A logística também melhorou com a automatização dos postos de combustíveis na propriedade.


O uso da telemetria melhorou o desempenho das máquinas de campo. O acompanhamento em tempo real gera relatórios a cada momento e detalha se o equipamento está parado ou em movimento, qual atividade está executando, qual o consumo de diesel, o que o operador está fazendo e qual o torque de motor que está usando — informação fundamental para a resolução ágil de eventuais problemas e falhas.


Segundo Oliveira, a tecnologia permitiu definir melhor o período para o plantio e para aproveitar as janelas mais favoráveis, o que ajudou a maximizar a produção. O movimento ocorreu ao cruzar dados históricos do clima na propriedade.


“Antes, para não correr riscos, usávamos mais insumos do que era necessário, e era um gasto a mais. Agora, com a agricultura de precisão, sabemos a quantidade exata que precisamos usar”, afirma. Ele não soube estimar os valores de investimentos feitos em tecnologia, pois muitos itens já eram utilizados. “Agora temos tudo integrado”. O grupo também cultiva milho e forragens.


Com o processo produtivo mais assertivo e a safra “garantida”, os avanços digitais indicam os momentos mais propícios para a colheita e para a comercialização dos grãos da Granjas 4 Irmãos. “Acreditamos que os avanços digitais da organização nos trarão resultados melhores que vão refletir na produtividade de todos”, completa. Fonte: https://globorural.globo.com/inovacao/noticia/2023/12/com-salto-digital-granjas-4-irmaos-reduz-custos-em-18percent.ghtml

bottom of page